• Lukas Ramos

Davi revela a receita do seu Ritual: Amor, desejo, falta e espiritualidade


Amor, desejo, falta e espiritualidade marcam o primeiro álbum solo de Davi. (Créditos: Fernanda Tiné)

Após marcar a música pop brasileira com a Banda UÓ, Davi Sabbag, ou apenas Davi, dá continuidade ao seu legado na construção da sua carreira solo. O tecnobrega e o pop eletrizante, que guiaram quase uma década da sua carreira, deram lugar ao romantismo aconchegante e intimista. Com sonoridade e estética renovada, o cantor prepara o lançamento de Ritual, seu primeiro álbum solo, que chega na sexta, 27.


Ainda no ano passado, poucos meses após o fim da Banda, Davi deu os primeiros passos da sua caminhada como artista solo. Mesclando influências do reggae e baladas R&B, iniciou a busca pelo seu som individual. Em julho de 2018, ele lançou a apaixonante Tenho Você, primeiro single do EP Quando. O disco de cinco faixas também contou com os singles Seu Direito e De Boa (feat. Jade Baraldo).



Na época, ao portal Híbrida, ele declarou que estava num momento de experimentações e que provava de diversas referências para encontrar um som que o representasse nessa nova etapa. "Me descubro como artista individualmente, sem amarras, com muitas possibilidades", afirmou. Num bate-papo com a Sidetrack, Davi conta que, para o Ritual, ele está com a sonoridade mais definida, mas ainda continua sua busca e está sempre disposto a aprender. "Acredito que músicos, artistas, tem que estar sempre abertos para estudar. A gente vai buscando e encontrando coisas diferentes, coisas novas, e é isso que move a música, a arte".


"A gente vai buscando e encontrando coisas diferentes, coisas novas, e é isso que move a música", afirma Davi. (Créditos: Fernanda Tiné)

Davi conta que a construção do Ritual foi feita a partir de uma perspectiva mais emocional, e não tanto racional. "Eu consegui achar um caminho que foi fazer o que eu tava sentindo, sem pensar muito. Acho que esse lugar do pensamento é muito racional, e quando você sente, você consegue entender melhor. Então, todo esse processo foi muito emocional, foi feito sentindo". De acordo com ele, esses sentimentos se refletiam no processo de produção do disco. "Eu escutava as músicas que chegavam de outros produtores, eles davam liberdade total, e eu mexia como tava sentindo que tinha que ser. Quando tivesse do jeito que me agradasse tava pronto, do jeito que eu achasse que estava condizente com a verdade que eu queria passar", comenta Davi.


As primeiras mostras do novo álbum chegaram no segundo semestre deste ano. O primeiro single é a faixa que recebe o mesmo título do disco, Ritual, e foi lançado em 1° de agosto. A música sobre paixão e desejo encanta pela atmosfera romântica e sedutora. "Fala de amor, de vontade de viver. Tudo se emulando e se estendendo para um ritual que nos faz bem", explica Davi.



Ainda em agosto, já pelo fim do mês, Davi lançou o segundo single do álbum, Ficar Sem Você. Outra música que marca essa sonoridade mais simples e serena, com uma estética mais delicada e intimista. "Essa nova fase reflete muito o meu momento, a minha busca pela paz interior e ressignificar as coisas da minha vida", explica Davi.



Segundo o cantor, o álbum surgiu com a vontade de ter um olhar mais positivo para o término do seu relacionamento. "Tinha acabado de terminar, fazia um mês, e eu tinha escrito um CD que era bem sofrido. Aí, acabou que eu não queria esse momento, queria falar das coisas boas. De certa forma, eu posso fazer no futuro, mas neste momento, queria falar das coisas de uma forma positiva. E, se eu fosse falar da falta, que eu falo muito, que a música pelo menos fosse animada". Ele explica que isso faz parte de um processo que escolhe se ater a parte boa das situações. "Já que a gente tá aqui, tem a opção de a qualquer momento da vida não reagir às coisas, de você encarar os acontecimentos com outro olhar, porque isso é uma coisa que a gente escolhe. Por mais que a gente seja escravo da mente, do pensamento, eu acho que a gente pode conseguir dominar a nossa mente e essa é a minha busca", comenta.


Para o cantor, essas situações são o que compõem a temática do disco: "O tema central de Ritual é o amor, mas é também o desejo e a falta". Ele também conta que o disco expressa seu lado espiritual e a forma de encontrar a própria espiritualidade por meio das suas vivências. Em adição, ele coloca que Ritual é um disco para se encaixar nos mais variados pontos da vida. "Esse é um disco para diversos momentos, serve para tudo. Um disco para relaxar, para ouvir com os amigos, para colocar num domingo. Ele serve para o frio e para o calor. E, é isso, a gente faz a música e depois que joga pro mundo, cada um reflete a arte de uma forma, então, isso é algo que é muito solto", pontua.


Davi também explana que as músicas do álbum têm uma ligação e vibe que funcionam como um fio que conecta o CD do começo ao fim. E, é a isso que ele remete a escolha de Ritual e Ficar Sem Você como os dois primeiros singles. "Essas duas primeiras que lancei foram numa ordem de temperatura também. Eu queria que começasse um pouquinho mais frio, mais sereno e aí o CD vai esquentando aos poucos. Tem um planejamento de singles que vai esquentando até o final do ano e início do ano que vem".


"Gosto muito de ser plural nos ritmos", menciona Davi. (Créditos: Fernanda Tiné)

Sobre a sonoridade, o cantor engloba uma lista grande e diversa de influências utilizadas como inspiração. "Nesse CD gosto muito de ser plural nos ritmos. Acho que isso caracteriza o pop também, você poder brincar, experimentar com todos os ritmos. Tem muita referência do Brasil, eu quis explorar bastante a Bahia, os ritmos daqui e continua também tendo muita influência do R&B". Dentre as referências, ele cita nomes que vão dos ritmos nordestinos ao R&B internacional, passando pelo reggae de Dawn Penn, o reggaeton de J Balvin e o eletrônico de Yaeji. "Posso citar Geraldo Azevedo, que escutei bastante pra fazer esse disco, e todos os R&Bs de fora, como Kelela, SZA, Daniel Caesar. Também tem Tim Maia, Caetano, Luedji Luna, BaianaSystem. É um caldeirão que eu faço, que eu sou", menciona Davi.


Davi também contou com algumas colaborações para esse trabalho. A primeira participação que será liberada é a com o paraense Jaloo, na música Banquete, que sai na sexta, 27, junto com o lançamento do álbum. Davi também já soltou nas suas redes sociais que tem feat com Urias e Kafé, duas estrelas em ascensão no pop nacional.


Banquete é a colaboração de Davi com Jaloo. (Créditos: Reprodução/Instagram)

REVISITANDO A BANDA UÓ


Mesmo em carreira solo, os fãs sempre vão guardar com carinho as memórias sobre a época da Banda UÓ. E, lógico, como fã do grupo não poderia deixar de perguntar sobre. Principalmente, após uma pequena reunião ter ocorrido no mês passado, no palco do Festival Bananada, em Goiânia. Davi e Mel subiram no palco do show de Mateus Carrilho, que era parte do line-up do evento, para relembrar o som do trio. Sorte de quem pode estar lá!



Sobre o legado da Banda, ele diz: "Foi uma fase muito importante. E, muita gente que eu nem sabia, pessoas que tão começando carreira e tal, contam que foi uma inspiração e isso é muito importante, é muito gostoso de ouvir". E acrescenta que a continuidade desse legado é com eles voando solo. "O intuito que ficou da Banda UÓ é não revisitar o passado, é o presente o intuito. Não é nem o futuro, é viver o agora", completa.

Reforçando que o álbum de Davi, Ritual, chega na próxima sexta, 27, em todas as plataformas digitais. E, enquanto isso, você pode ir se preparando com os sons já lançados por ele.



  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine