• Leonardo Henrique

FASHION TIME: Um documentário para repensar o consumismo.

Olá leitores! Eu estive pensando muito no que indicar nesse último mês, pois falar de moda no momento em que estamos vivendo não carece de ser uma prioridade, por esse motivo no último mês (abril) não escrevi para a coluna Fashion time, pois vivemos uma atmosfera de incertezas e nada mostrava-se prudente em ser indicado.

Mas dois meses após a estreia da coluna, voltei com mais uma indicação que traz sentido ao mundo em que estamos vivendo, onde as grandes corporações e empresas de moda têm pensado como lidar com essa nova forma de vida e, em como abordar moda em momentos de pandemia. Exemplo disso foi a famosa capa branca da edição de abril de 2020 da icônica Vogue Italiana.





Portanto a indicação desse mês é o documentário The true cost (2015), dirigido por Andrew Morgan. Como o título já indica "O verdadeiro custo", o diretor tem a intenção de documentar essa dicotomia no mundo da moda, entre o poder das grandes "fast fashion" e as condições de trabalhos em fábricas téxteis nos países em desenvolvimento, como China, índia e Tailândia. O filme narrado por Andrew conta com discursos de porta vozes da sustentabilidade, como a designer de moda Stella McCartney.


No atual cenário em que vivemos, é essencial pensarmos nos nossos modelos de consumo, justamente porque muito tem se falado no "novo normal". E o filme nos ajuda a pensar em toda a cadeia produtiva de cada peça de roupa, até chegar às fast fashion. Conforme indica Andrew, apenas 3% das roupas atualmente são produzidas nos Estados Unidos, sendo que os outros 97% acontecem nos países em desenvolvimento, com mão de obra barata.

Mas o documentário não encerra a abordagem do assunto aqui, foi necessário ir mais profundo para entender essa produção como um todo, por isso não deixa de relatar a problemática envolvendo as plantações de algodão não orgânico, o uso de pesticidas, a degradação do solo e as doenças quem advém dessa prática. Que sempre atinge populações mais vulneráveis.


Por esse motivo acredito que essa será uma indicação pertinente, para começarmos a pensar moda de uma forma sustentável e não consumista. Já que o meio ambiente clama por medidas mais conscientes, pois nunca na história da humanidade se produziu tanto.

E para finalizar, escrevo as palavras de Lívia Firth no documentário: "Porque eles nos fazem acreditar que nós somos ricos... Porque nós podemos comprar muito... As únicas pessoas se tornando mais ricas são os próprios donos das fast fashion".


O documentário está disponível no Daylimotion.




  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine