• Bárbara Bigas

Conheça ENHYPEN e o seu debut com a faixa "Given-Taken"


Os eventos atípicos de 2020 ainda não foram suficientes para derrubar a grande indústria do entretenimento, que seguiu trabalhando, produzindo e confortando muitos fãs ao redor do mundo com novas músicas e estreias no ramo.


A adaptação feroz a essa nova realidade pandêmica fez com que o mundo do k-pop, naturalmente veloz e intenso, inovasse ainda mais para diminuir impactos negativos no desempenho das grandes empresas sul-coreanas. O debut de diversos grupos num contexto como esse seguiram acontecendo e levando aos consumidores dessa arte um novo jeito de admirar, acompanhar e ser fã. Com as proibições de shows e eventos presenciais, a tecnologia foi a base e o principal meio de crescimento e expansão dos rookies do ano, como TREASURE, Secret Number, aespa e TOO.


Nesse cenário, o mais novo rookie de 2020, ENHYPEN, caracterizou uma das trajetórias mais inovadoras do ano.

Entre junho e setembro deste ano, a empresa Belift Lab organizou o reality show I-LAND, transmitido em diversos canais sul-coreanos e também globais como Mnet, tvN Coreia e Rakuten Viki, tendo resultados altíssimos de audiência em países como Estados Unidos, Austrália e o próprio Brasil, além de votações abertas ao público global pelo aplicativo WEVERSE, da BigHit Entertainment. O programa reunia 23 trainees recrutados de alguns países da Ásia além da Coreia do Sul, como Japão, China e Vietnã.




A iniciativa de produzir realities de sobrevivência com o objetivo de formar um grupo é comum e sempre tem imensa adesão entre fãs e entusiastas do k-pop. Com I-LAND, além da emoção e ansiedade naturais causadas por programas dessa envergadura, um diferencial se destacou: os 23 participantes eram protagonistas de todos os acontecimentos do reality, escolhendo seus próprios líderes, decidindo posições e funções nas performances, coordenando seus próprios ensaios e gerenciando seu próprio crescimento como artistas. A participação de cantores, produtores e treinadores como Rain, Zico, Doobu, P-dogg, Bang Si-Hyuk e Son Sung Deuk acompanhou os passos e a evolução desses meninos, ajudando-os na conquista de um sonho comum entre todos: o debut.


Após 12 episódios de provas, encontros com grupos como BTS e SEVENTEEN, eliminações e músicas inéditas, 7 finalistas formaram o então ENHYPEN, grupo que, antes mesmo de sua estreia, bateu recordes de visualizações em teasers, seguidores nas redes sociais e também em compras de seu mini álbum na pré-venda.


O grupo da Belift Lab, joint venture da BigHit Entertainment, concentra imensas expectativas e anseios por um trabalho conceitual e extremamente refinado, padrão do estilo BigHit, que é também empresa do BTS e do Tomorrow X Together. Além disso, o potencial e qualidade que os membros demonstraram desenvolver em alguns meses de trabalho faz do ENHYPEN uma grande promessa da 4ª geração do k-pop.




"Given-Taken", música de debut do ENHYPEN


Dedilhados serenos iniciam a música de conceito sombrio e mórbido do ENHYPEN. O clipe é conduzido por uma história de felicidade e ingenuidade, que em algum momento é invadida por sentimentos de medo, dor e sofrimento. As atuações dos membros, mescladas com cenas da coreografia, dão ao MV a possibilidade de encaixar-se em diversas teorias, cujas suposições começam na análise dos primeiros teasers do grupo e movimentaram o fandom na criação de hipóteses e explicações. Confira:




A letra fala sobre seguir a luz dos sonhos, encarando o que existe dentro de si e também as dúvidas e incertezas externas, que moldam nosso destino, palavra constante em Given-Taken. Tudo isso dentro da envolvente história contada no MV, comunicando essa mensagem por meio de símbolos nos cenários, figurinos e na interpretação dos membros do grupo.


Essa luz me queimou / Essa luz me cegou / Mas eu vou agora, sigo meus sonhos / Mergulhar no sol vermelho, sem mentira...*

*Em tradução livre.


O MV da faixa alcançou a marca das 2 milhões de visualizações no Youtube em apenas 2 horas e 46 minutos após o seu lançamento.


Esta música faz parte do mini álbum BORDER : DAY ONE. O álbum de estreia contém 6 músicas, 5 inéditas e uma já apresentada durante o reality show I-LAND, a intitulada 'Flicker', agora adaptada para o septeto. De modo geral, o álbum se distancia um pouco da proposta lúgubre da faixa principal, apresentando músicas mais dançantes e descontraídas, mais ligadas ao tom juvenil do grupo. Apenas em 'Outro : Cross the Line', há a retomada da icônica atmosfera de Given-Taken, fechando com chave de ouro.

Escute o mini álbum do ENHYPEN agora mesmo:


Nota: 4/5


Estamos ouvindo!

LEIA TAMBÉM

SIGA-NOS NO INSTAGRAM!

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine