• Anna Clara Fonseca

[INDICAÇÃO] A motivação contagiante de Slam Dunk

A denominação do Otaku no Brasil é referente aos fãs da cultura japonesa, sobretudo de animes e mangás. A vastidão de histórias tem espaço para receber qualquer interessado em conhecê-los. O carisma dos personagens interliga-se com jornadas extraordinárias e o amadurecimento crescente desenvolvidos nessa trajetória se torna um ponto crucial. Eles se tornam verdadeiros heróis para os apreciadores da arte. No Japão, o chamamento ganha outro significado. São aqueles que simplesmente gostam muito de algo. Vamos supor que eu goste muito de pesca, logo, serei um otaku de pescaria. Com certeza você deve ser otaku de algo do mesmo jeito que Takehiko Inoue é apaixonado por basquete. Esse amor deixou um legado eterno no mundo dos mangás e leva o nome de Slam Dunk.


Fenômeno nacional e internacional, Slam Dunk é um dos mangás mais famosos de todos os tempos. É recordista de vendas até os dias de hoje, atingindo 120 milhões de cópias vendidas somente no Japão, Europa e outros países asiáticos. Tanto sucesso teve um começo difícil. Inoue costumava jogar basquete na escola quando mais jovem e algumas vezes, usava os maneirismos esportivos ao seu favor na hora da conquista com as meninas. Ele reuniu toda sua sabedoria sobre aquilo que amava e trouxe pra sua vida profissional. Foi em 1988 que lançou seu primeiro trabalho, um one-shot chamado Kaede Purple com o tema voltado ao basquete.


No ano de 1990, ele apresenta Slam Dunk a sua editora, Shueisha. Algumas vertentes previam um possível fracasso, foi o que a editora pensou quando ele, mero novato na área, apareceu com o projeto: um anime shonen sobre basquete. A categoria shonen é direcionada ao público masculino, por exemplo: Naruto, Bleach e Kimetsu No Yaiba. Você deve estar pensando: “Já que o shonen é isso, o que poderia dar errado?”. O fato de ser sobre basquete responde a pergunta. Basquete é visto como um esporte tabu no Japão devido à altura da população. Estes elementos deixaram Shueisha bem cética sobre até onde a história poderia chegar. Tudo indicava que a lugar nenhum, mas mesmo assim, acreditaram na sabedoria passional do escritor. No ano de 1990, o mangá ganha seu espaço na Weekly Shonen Jump, uma revista de mangás best-selling. E foi a melhor decisão que eles tomaram desde então.


O amor do autor acerca do assunto chamou atenção do público, ganhando notoriedade que nem o próprio imaginava. A resposta para esse encantamento é fácil: Slam Dunk é para aqueles que amam e conhecem sobre basquete, mas também para o público que não conhece absolutamente nada. A história começa com Hanamichi Sakuragi levando seu quinquagésimo fora, uma realidade constante na vida dele. Ele é alto, ruivo e valentão, um delinquente completo, mas isso não impede de Haruko Akagi abordá-lo e perguntar se ele gosta de basquete. O demasiado entusiasmo com a situação o faz responder positivamente quando, na verdade, não conhece absolutamente nada sobre. A partir daí, tudo muda para sempre. Esse é início de uma história sobre amadurecimento, desenvolvimento pessoal, conquistas e perdas, sonhos, mas o que torna a especial é o que pode acontecer quando coloca amor naquilo que acredita. Isso ocorre com os personagens e seu criador.


Takenori Akagi é o capitão do time de basquete do colégio Shohoku e irmão mais velho de Haruko. Dedicado, o nível de responsabilidade com o esporte é uma das suas fortes características. O esforço diário durante toda sua vida justifica as habilidades profissionais demais para um aluno do colegial, porém tanto conhecimento não sobe a cabeça. Ele acredita em cada jogador do time e faz o mesmo quando Hanamichi se junta ao time com zero habilidade no esporte, tampouco as regras. Brigas e intrigas os perseguem constantemente, mas o tempo vai fazendo ambos se entenderem a maneira deles. O mesmo acontece com Kaede Rukawa, o veterano prodígio do colégio, paixão de Haruko e inimigo de Sakuragi. Já Ryota Miyagi, amigo próximo de Hanamichi, brilha com sua agilidade habilidosa. Kiminobu Kogure é o vice-capitão e amigo de Akagi. De todos, é o que mais acredita no potencial de Hanamichi, sua força de vontade e honestidade com o time é ativada em momentos cruciais. Ayako é a gerente do time e amor da vida de Ryota, cuidando do bem estar dos jogadores e responsável por aprimorar as habilidades iniciais dos novos jogadores. Por último temos o sábio treinador Mitsuyoshi Anzai, um dos melhores treinadores do Japão. Sua áurea calma atualmente não condiz com o comportamento explosivo do passado, o que não impacta o respeito dos jogadores sobre ele, o tornando uma figura inspiradora para todos ao redor.


O encantamento de Slam Dunk está no expressivo traço de Inoue, transmitindo emoções vividas o suficiente de tirar o fôlego do leitor. Também está nos torneios eletrizantes capazes de emocionar, o coleguismo realmente acontece ali. As diferenças são deixadas de lado e o trabalho em equipe é executado com primor, ficando impossível não sentir com eles. Um ponto que chama atenção sobre os campeonatos de basquete é que eles não são apenas sobre o jogo em si, mas um encontro com o amadurecimento iminente dos jogadores. O momento se torna um background para refletir sobre eles mesmos para crescer em todos os sentidos.


Takehiko acredita que a história se desenvolve naturalmente como resultado do desenvolvimento sólido do personagem. A metamorfose de Sakuragi cruza caminhos com impasses conflituosos dentro do âmago. O início imaturo vai se dissipando ao longo do mangá, ressignificando o basquete na sua vida e acreditando na meta do time. O escritor do mangá disse no documentário NHK Professional: Takehiko Inoue Works que se vê bastante no personagem principal: “Quanto mais forte era minha capacidade de me projetar no Sakuragi, mais autêntica sua personalidade se tornava.”.


Entretanto, aquilo que cativou o público de verdade foi amor visto do começo a fim. A fama do mangá potencializou a prática de jogar basquete pelo país, aumentando a procura por mais jogos de basquetes e nas escolas. O mundo adora trabalhos que contém o amor verdadeiro e é o que as pessoas sentem a cada página quando leem Slam Dunk. Como disse acima, é uma história para aqueles que amam basquete ao mesmo tempo em que pode ser para aqueles que não conhecem nada sobre o esporte. Involuntariamente, o leitor acaba tirando muitas lições das situações que o time, sendo um crescimento simultâneo entre ficção e vida real.


Se pudéssemos definir Slam Dunk em uma frase, seria uma dita por Takehiko Inoue: “Desafie algo que está muito além das suas habilidades.”.


Se você interessou, a editora Panini está relançando o mangá aqui no Brasil em 24 volumes, custando em torno de R$17,90 cada. Para mais informações, é só clica aqui! :)


Fontes: Slam Dunk Fandom e documentário NHK Professional: Takehiko Inoue Works.

LEIA TAMBÉM

SIGA-NOS NO INSTAGRAM!

Estamos ouvindo!

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine