• Lukas Ramos

O pop colorido e vibrante do Rosa Neon


Grupo Rosa Neon cria universo essencialmente pop em seu álbum de estreia. (Créditos: Rosa Neon/Twitter)

A música pop sempre foi berço da diversidade, vivendo numa constante mistura de ritmos e referências. Na cena nacional, o gênero é influenciado pelos populares funk, forró, sofrência, dentre outras sonoridades que podem ser tanto daqui da nossa terra quanto de fora. Dessas combinações, surgem as mais deliciosas experiências musicais, como é o caso do grupo Rosa Neon.


Capa do disco Rosa Neon.

Unidos pela vontade de fazer música pop, os jovens Marina Sena, Marcelo Tofani, Mariana Cavanellas e Luiz Gabriel Lopes (dispostos na foto em sentido horário) juntaram-se num projeto que resultou no álbum homônimo. Lançado em 5 de setembro, o disco cria um universo pop, leve e tropical, colorido pela multiplicidade de influências sonoras, composta por brega, reggae, sertanejo romântico, trap, entre outros. São 10 músicas vibrantes, prontas para grudar na sua cabeça, guiar seu corpo e fazer você se apaixonar pela mistura bem brasileira.


Apesar desse álbum ser a estreia do grupo mineiro, os quatro integrantes já eram jovens veteranos da música independente de seu estado. Marcelo trilhava seu caminho como cantor solo, Luiz também passeava entre seus projetos individuais e com a banda Graveola. Marina integrava A Outra Banda da Lua e Mariana era uma das componentes da Lamparina e a Primavera. Até que, em julho do ano passado, durante o 18° Encontro de Milho Verde, na cidade de Milho Verde (MG), ocorreu o primeiro encontro do Rosinha (apelido do grupo).


Em novembro 2018, eles lançaram aquele que seria o pontapé inicial do seu álbum de estreia. Fala Lá Pra Ela foi escolhido como o primeiro single e já chegou com clipe. Depois disso, a cada mês era um single e clipe novo, que a pequenas doses mostrava o múltiplo mundo do Rosa Neon.



Num bate-papo com a Sidetrack, Mariana Cavanellas explica que a união do grupo ocorreu de forma orgânica e o projeto crescia como num processo simbiótico. "Exatamente pelas diferenças que eu acredito que o Rosa tem tanta potência. Somos muito diferentes, tanto em personalidade quanto em berço musical, e é exatamente essa diferença que lapida a história". Ela acrescenta que o processo de criação do grupo funciona de acordo com o que cada música pede e afirma que a sonoridade do Rosa tem a ver com "um lugar pouco racional e mais sentimental". "Chegamos há um ponto na sociedade que se tem resposta e teorias para tudo. Estamos num momento muito lógico e teórico. O que fazemos é simplesmente divertido pra gente, não há muitas explicações", conta a voz principal da música Picolé.



Sobre as referências utilizadas na composição do álbum, Mariana revela que são inúmeras as inspirações utilizadas, que vão além da música brasileira e agrega nuances do pop americano, rock europeu e muito mais. "Pensa bem: 4 artistas com uma bagagem de mais de 20 anos, rs! Tem desde Rosalía (Marina ama!) até Jorge Drexler (Luiz ama!)". Ela acrescenta que uma inspiração em comum do grupo é a Tropicália: "Somos muito fãs de Gil, Gal, Caetano Veloso e Bethânia". Por conta disso, não é mera coincidência a capa do disco do grupo se assemelhar a clássica capa do disco Doces Bárbaros, de 1976, que reuniu pelos 4 ícones consagrados da música brasileira.


Já que falamos em ícones da música nacional, a banda é apadrinhada por um dos nomes mais importantes no rap brasileiro atualmente, o também mineiro Djonga. O rapper integra o álbum com uma participação especial na música Vai Devagar, faixa três do disco.



Das 10 músicas do disco, apenas a faixa-título (Rosa Neon) ainda não ganhou clipe. Como mencionado anteriormente, antes do álbum sair, a banda adotou a estratégia de divulgar as faixas com clipes liberados mensalmente. "Vivemos em um contexto que a imagem narra muito bem a viagem sonora. Percebo que existe uma completude nessa coisa de videoclipe: você traz sua música com a atmosfera que imaginou além do som", explica Mariana.


A partir desta sexta, 4, o grupo sairá em turnê levando seu pop pelos estados brasileiros. Para saber mais sobre o grupo, acompanhe-os pelas redes sociais pela @neonrosaneon (Instagram e Twitter). Além disso, você também pode ouvir as músicas do Rosinha pelas plataformas digitais.


Ouça o álbum completo no Spotify.



  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine