LEIA TAMBÉM

  • Sidetrack

[Lista] Os melhores álbuns do primeiro semestre de 2020



Sim, galera, já estamos na metade do ano! E pode até parecer que nunca saímos de março, mas agosto está aqui, e com ele nossos álbuns favoritos do primeiro semestre de 2020. Apesar de todas os empecilhos que a indústria musical sofreu por conta da pandemia do COVID-19, os artistas conseguiram nos apresentar ótimas surpresas, e não foram poucas.


De álbuns extremamente aguardados por fãs a álbuns escritos durante o isolamento, passando por lives que vão ficar na história (quando a gente ia ver o Lucas da Fresno tocando os sucessos da banda por 4h, né?) ou nem tanto, os fãs de música passaram por uma montanha russa de lançamentos e inovações (pra não dizer gambiarras) que está um pouco mais devagar agora, mas que com certeza ainda vai nos proporcionar ótimos lançamentos até o fim do ano.


Selecionamos alguns desses lançamentos (não foi nada fácil!) que marcaram presença em nossas playlists nessa primeira metade do ano, e que venham mais seis meses de muita música boa!



"The New Abnormal" - The Strokes

Este foi sem dúvidas, um dos álbuns do primeiro semestre de 2020 mais escutados por aqui. O The Strokes fez a sua volta, em anos, com um trabalho de 9 faixas que nos deixaram saudosistas, já que a sonoridade explora elementos distintos que por vezes, nos lembram bastante os primórdios do grupo, lá no início dos anos 2000.


Ideal para ouvir no carro, cantar junto dos amigos ou só curtir em um momento solo mesmo. Faixas mais ouvidas: “The Adults Are Talking”, “Brooklyn Bridge to Chorus”, “Selfless” e “Bad Decisions”.



"Circles" - Mac Miller

Nada como um momento de profunda análise pessoal e humana na discografia de um artista. Em Circles, o inesquecível Mac Miller saúda uma atmosfera completamente introspectiva e intimista, trazendo à tona seus sentimentos e pensamentos mais sinceros, porém pessimistas em relação à vida.

O disco póstumo é um desabafo repleto de conceito e magia, e é impossível não se identificar com uma pequena parte que seja do conteúdo lírico nele apresentado, além das sonoridades leves e convidativas que transpassam todas as faixas.



"Foolish Loving Spaces" - Blossoms

O terceiro álbum do Blossoms traz novos elementos ao repertório da banda inglesa, que traz em sua bagagem referências norte-americanas para somar ao já conhecido indie rock britânico que eles sabem fazer tão bem.


Ao se desprender dos limites da pequena Stockport, a banda explora novos ares e novas maneiras de fazer música, como é o exemplo de "The Keeper", um dos singles principais desse novo projeto, e uma das faixas que mais se sobressaem no álbum.




"A Hero's Death" - Fontaines D.C.


Após o aclamado primeiro álbum Dogrel, que segundo a NME, já pode ser considerado um clássico, muito se especulava sobre o retorno do Fontaines D.C., e eles definitivamente não deixaram a desejar.


A Hero’s Death, o novo trabalho do grupo irlandês é raivoso e auto-crítico como poucas bandas do novo cenário do rock mundial têm coragem de se mostrar, e estabelece a banda como um dos grandes nomes do gênero atualmente.



"Chromatica" - Lady Gaga

Após passar pelo Jazz, pelo Country e ainda conseguir espaço para um Oscar em sua enorme coleção de prêmios, a Mother Monster retorna às raízes com o álbum Chromatica: uma explosão de cores e hits dançantes que buscam referências de trabalhos antigos como The Fame e Born This Way, eras que consagraram Lady Gaga como uma A-List do pop.


Gaga não economizou nos feats e chamou nomes de peso para o álbum, sendo eles, Ariana Grande, Blackpink e Elton John, o que agradou fãs de diversas gerações.



"Calm" - 5 Seconds of Summer

O quarto álbum de estúdio dos australianos do 5 Seconds of Summer deixou os fãs inicialmente confusos com todo o conceito dessa “era” com os singles lançados, mas apesar dos pesares, entrou sim na nossa lista de favoritos! Dando continuidade a vibe mais pop apresentada no último álbum, o quarteto mostrou uma evolução em todos os aspectos: das letras a consagração de Luke Hemmings como vocalista principal da banda.


Olha, é MUITO bom! A estética, o ritmo do álbum, e até a mistura entre o pop e o rock sempre presente nas músicas fez o CALM algo especial. O álbum é bem redondinho, e prazeroso de ouvir, seja para prestar atenção nas letras ou como somente curtir o momento, vale tudo!



"Future Nostalgia" - Dua Lipa

Não tem como negar que o Future Nostalgia foi um dos principais álbuns lançados durante a quarentena. Muito além da polêmica envolvendo o vazamento inesperado, que forçou a britânica a adiantar seu lançamento, Dua Lipa entrou de cabeça na estética planejada para o álbum e nos levou junto: lançou tendência com o cabelo, com as roupas inspiradas nos anos 80 e nos entregou singles que conquistaram todo mundo.


Sem palavras para o trabalho que ela desenvolveu! As músicas são bem diferentes do primeiro disco e de tudo que ela já tinha feito anteriormente, e Dua Lipa mostrou que consegue navegar por todas as variações do pop sem nenhum problema, entregando tudo de melhor. O Future Nostalgia é uma experiência a ser apreciada do início ao fim.



"Ungodly Hour" - Chloe x Halle

Vamos começar servindo fatos aqui: Chloe x Halle ainda são muito subestimadas pelo grande público. Basicamente elas fazem tudo: cantam, compõem, produzem e nas horas vagas ainda atuam. Com o Ungodly Hour elas finalmente estão conseguindo conquistar o próprio espaço. O álbum é bem mais maduro que o "The Kids Are Alright", e sem dúvidas faz jus ao talento delas.


Com uma pegada bem R&B e algumas batidas eletrônicas, ele é bem a cara delas. Os visuais, as melodias e as letras tem uma vibe imponente e divertida, e mostra para que veio. Os lead singlesDo it” e “Forgive Me” são uma ótima porta de entrada para conhecer o trabalho delas, mas não pare por aí, você não vai se arrepender! Já podemos classificar como um dos melhores álbuns do ano?



"Heartbreak Weather" - Niall Horan

O segundo álbum de estúdio de Niall Horan é bem diferente do primeiro, que tinha uma pegada mais country/folk, mas ainda assim tem a cara do Niall. Voltando às raízes do pop, algumas faixas ficam grudadas na cabeça, e dão uma atmosfera bem leve ao álbum, que intercalam com faixas mais calmas, todas falando de amor e coração partido.


Ele nos leva pelos altos e baixos dos relacionamentos, mostrando o amadurecimento do cantor na carreira solo, e deixando um gostinho de quero mais.


"After Hours" - The Weeknd

Que o The Weeknd só faz álbum bom a gente já sabe. Agora o que podemos falar sobre esse? Ele elevou seu trabalho a um patamar que a gente só pode definir como impecável. Com uma clara inspiração oitentista (que é um ponto comum em muitos dos lançamentos musicais recentes), cada detalhe do After Hours grita perfeição!


After Hours é acompanhado de um short film que serve como ponte para os clipes dos 4 singles lançados, que se entrelaçam com apresentações do cantor na TV americana, e fazem um tributo aos filmes de terror da década. Se você só ouviu “Blinding Lights” porque viralizou, você não faz ideia do que está perdendo!



"Folklore" - Taylor Swift

Taylor Swift faz tudo novamente! Folklore foi todo produzido durante a quarentena e lançado de surpresa no final de julho, para a nossa felicidade. O oitavo álbum de estúdio dela se afasta totalmente dos dois últimos, com uma pegada mais folk (como o próprio nome já diz, hehe) e nos leva para uma atmosfera que há algum tempo Taylor não nos mostrava.


As 16 músicas são histórias entrelaçadas entre si, que, como em toda obra dela, é impossível não se identificar. Só escutem.



Menção Honrosa: Single "TKN" - Rosalía (Feat. Travis Scott)

Essa é a colaboração que não sabíamos que precisávamos até ela existir. Não é de hoje que Rosalía vem entregando uma sonoridade singular, flertando com elementos flamencos e R&B, a cantora espanhola se encontra com o rapper norte-americano Travis Scott em "TKN", e torna o single uma experiência atraente, comunicando-se perfeitamente com a composição sobre lealdade na relação de ambos.


Esse feat precisava existir. A união da sonoridade de Rosalía com a voz de Scott foi incrível, um contraste extremamente efetivo. Sem dúvidas uma das melhores collabs do ano.

Também queremos saber os seus favoritos! Conte para nós em nossas redes sociais!


SIGA-NOS NO INSTAGRAM!

Estamos ouvindo!

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine