• Letícia Lucena

[REVIEW] Foolish Loving Spaces, novo álbum do Blossoms, é a renovação da banda em seu próprio nicho


A carreira do quinteto britânico está decolando com tudo! Com quase dois anos de intervalo desde o último projeto, Cool Like You, a banda retorna com mais experiências na bagagem após uma bem sucedida turnê pelos Estados Unidos, que adiciona um certo diferencial ao Blossoms em relação aos álbuns anteriores.


Ao se desprender dos limites da pequena Stockport, a banda explora novos ares e novas maneiras de fazer música, como é o exemplo de The Keeper, um dos singles principais desse novo projeto. A canção é um grande espetáculo que une piano, um coral gospel ao fundo dos vocais de Tom Ogden, e um clipe de aquecer o coração, gravado na cidade de Nova York.


Ainda falando dos singles que antescedem o álbum, Your Girlfriend e The Keeper nos deram a impressão de que o grupo iria se afastar da sonoridade oitentista pela qual os conhecemos (e amamos!), entretanto, o terceiro e último single antes do lançamento oficial, If You Think This Is Real Life, como também o restante do álbum, vêm para mostrar que a identidade do Blossoms continua ali, porém, carregada de novas influências.

Um dos pontos mais fortes do Blossoms, desde o debut em 2016, são as canções românticas. Com esse conceito muito bem executado em Cool Like You, era necessário manter o nível no próximo álbum, e felizmente Foolish Loving Spaces consegue. Oh No (I Think I'm In Love) e Romance, Eh? são as faixas que melhor representa a sensibilidade de Ogden ao falar de sentimentos durante ou até depois de um relacionamento, e combo entre as letras certeiras e a sonoridade com aquele tom de nostalgia as tornam dignas de embalarem as mais épicas cenas românticas (fica a dica aí para os cineastas: Blossoms em trilhas sonoras é sucesso!)

Um único ponto negativo nesse novo álbum, se é necessário apontar algum, foi a exclusão da faixa I've Seen The Future, lançada de forma avulsa entre o segundo e o terceiro álbum. Em suma, Foolish Loving Spaces prova que banda pode ser versátil explorando seu próprio nicho, e aprimorando o que já faziam com maestria em trabalhos anteriores. Para quem ainda não conhece a banda e se interessa tanto pela cena britânica atual, quanto pelo que foi sucesso por lá nos anos 1980, é uma ótima indicação.


NOTA: 80/100

Ouça abaixo o álbum na íntegra:


LEIA TAMBÉM

SIGA-NOS NO INSTAGRAM!

Estamos ouvindo!

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine