• Bárbara Bigas

One Spring Night: um romance perene entre estações

Atualizado: Fev 9


Diretor: An Pan-Seok

Escritor: Kim Eun

Emissora: MBC

Data de lançamento: 22 de maio de 2019 | Fim: 11 de julho de 2019

Idioma: Coreano

País: Coreia do Sul


*NÃO contém spoilers.


Com um título sugestivo de um clássico romance, as primeiras impressões do drama One Spring Night (봄밤) podem ser altamente errôneas.


Ambientado durante a primavera coreana, momento com um tranquilo e relaxante clima no ar, uma história cheia de complicações contrasta com este cenário natural, que é ponto crucial para nos apresentar a trajetória percorrida pela bibliotecária Lee Jeong-in (interpretada por Han Jimin) e o farmacêutico Yoo Ji-ho (Jung Hae-in), donos de diferentes realidades que se chocam, provando a força do amor até sobre aquilo que acreditamos ser imutável.




Ao longo de 16 intensos episódios, conhecemos a história do relacionamento de 4 anos de Jeong-in e presenciamos a pressão colocada para que esse relacionamento (já desgastado e distante) chegue ao casamento. Concomitantemente a esse conflito interno que a protagonista passa, surge em seu caminho Ji-ho, pai solteiro e que carrega dentro de si as marcas de um passado muito doloroso. Ao se conhecerem, eles começam a se ver duvidosos sobre o que tem acontecido em suas vidas, fator que abre portas para se redescobrirem dentro de seus próprios desejos para o futuro, cultivando um amor verdadeiro.


A complexidade e a necessidade dessa produção cinematográfica são certeiras do modo como sua história é construída:


Nos é apresentado um foco de desenvolvimento nos personagens principais, que são o carro-chefe de todo o drama. No entanto, ao assistir, vemos que todos os personagens são essenciais: sendo a maioria deles família ou amigos muito próximos de Jeong-in e Ji-ho, ao longo dos episódios, as experiências de todos se conectam, entrelaçando os desafios de cada um. A história então, passa a não ser apenas sobre um romance fechado entre os protagonistas na luta contra os antagonistas, mas sim apresenta uma construção e amadurecimento coletivo, criando expectativas sobre qual será a reviravolta que farão todos os problemas se resolverem, trazendo felicidade para cada um deles.


Na primeira foto: Jeong-in e sua irmã mais velha, Seo-in. Na segunda foto, Jeong-in e sua irmã mais nova, Jae-in

A simplicidade do drama encanta e se torna único com a dramaticidade que apresenta em cada ato, cena, diálogo e situação. O modo como vemos os personagens principais enfrentando dificuldades desde o primeiro episódio proporcionam uma maior conexão do telespectador com os acontecimentos: é como se o tempo todo quiséssemos entrar na vida dos personagens e pensar como eles pensam, guia-los nas situações desafiadoras que os circundam e aconselhá-los quando se encontram perdidos.


Dando continuidade a essa fuga do clichê e das convenções românticas muito comuns em novelas de modo geral, ele abre a percepção para os desafios culturais e sociais que a família coreana sofre em seu tradicionalismo excessivo, que pesa principalmente para o lado das mulheres e solteiros. Além disso, coloca em jogo muitas vezes o sentimento familiar, levando-o a certos sacrifícios e à desunião. Nessa leva de situações “fora do controle”, presenciamos os personagens se testando a todo momento, quebrando suas próprias convenções em prol de uma melhor convivência entre eles mesmos. Longas discussões sobre casamento, sobre a frieza dos relacionamentos e a verdadeira felicidade dentro deles mostram a relevância desse drama, que proporciona longas reflexões.


Você pode se emocionar, gritar de raiva, morrer de amores ou passar horas refletindo sobre conflitos tão absurdos e reais. No entanto, a verdade é uma só: 2019 foi salvo pela sensibilidade de One Spring Night e ele é a aposta certa para o começo de uma nova década.


gif

Nota: 5/5

  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Spotify
  • Preto Ícone Twitter
  • Preto Ícone Pinterest
  • Preto Ícone Flickr

© Sidetrack Magazine